Gestão Eficiente: Governo de Minas promove ações sociais e educativas no bairro Palmares

Ações da Secretaria de Desenvolvimento Social, em parceria com outros órgãos e iniciativa provada, contam com rua de lazer e prestação de serviços

A Assessoria para Assuntos Sociais para Vilas e Favelas, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), promove, neste sábado (30), em Belo Horizonte, uma série de ações sociais e educativas. A iniciativa será realizada nas Vilas Andiroba e Maria Virgínia, nos bairros São Paulo e Palmares, na região Nordeste da capital.

Os moradores terão a oportunidade de trocar materiais inservíveis, que podem ser foco do mosquito transmissor da dengue, por material escolar. A população também poderá buscar uma vaga de emprego, negociar débitos com a Cemig, entre outros serviços. Já as crianças vão poder aproveitar o dia na rua de lazer.

“Essas ações fortalecem a comunidade, que recebe um retorno rápido às necessidades, previamente levantadas. É a valorização das associações de bairro, dos líderes comunitários e principalmente de cada morador, levando sempre cidadania, lazer e o compromisso do Governo de Minas de valorizar cada vez mais as vilas, favelas e periferias”, ressaltou o coordenador da Assessoria para Assuntos Sociais para Vilas e Favelas, Weslei Morais.

Programação

A ação será realizada no Bairro Palmares (Rua Modelo, entre Luiz Zudio e Av. Cristiano Machado), de 9h às 16h. A Assessoria para Assuntos Sociais para Vilas e Favelas conta com as parcerias das Secretarias de Estado da Saúde (SES), de Trabalho e Emprego (Sete), da Cemig, da Empresa Divina Providência e do Makenzie – que vai promover uma seletiva de futsal feminino durante a mobilização. A expectativa é que cerca de 350 pessoas sejam atendidas.

O Bairro Palmares é o terceiro a receber a iniciativa. Moradores da Vila Pinho e da Comunidade Nossa Senhora de Fátima foram beneficiados com os serviços, em abril e junho, respectivamente. A previsão é que as comunidades do bairro Nova Cintra, no dia 28 de julho, e do Aglomerado Santa Lúcia, no dia 25 de agosto, sejam as próximas favorecidas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-promove-acoes-sociais-e-educativas-no-bairro-palmares/

Governo de Minas: caminhoneiros aderem à Campanha Proteja Nossas Crianças

Profissionais que circulam em estradas de todo o Estado firmam compromisso para serem multiplicadores da campanha.

Divulgação / Sedese
Motoristas profissionais se comprometeram a serem multiplicadores da campanha nas estradas de Minas
Motoristas profissionais se comprometeram a serem multiplicadores da campanha nas estradas de Minas

A Campanha Proteja Nossas Crianças ganhou o reforço de 750 caminhoneiros, que circulam pelas estradas de Minas e de todo país.  Nesta sexta-feira (29), véspera do Dia dos Caminhoneiros, eles assinaram, voluntariamente, um termo de compromisso para serem multiplicadores da campanha. A ação foi realizada na Ceasa Minas e os caminhoneiros ganharam uma bolsa ecológica, doada pelos Correios, além do material gráfico da campanha que enfatiza o número do Disque Direitos Humanos (0800 031 11 19). A ideia é fazer do caminhoneiro um parceiro na divulgação da campanha.

Pai de 13 filhos, o caminhoneiro Sebastião Peixoto, de 56 anos, foi um dos primeiros a assinar o certificado e a se compromissar com a causa. “A minha filha caçula tem apenas quatro anos e sei da importância dessa iniciativa”, disse Sebastião, que mora em Esmeraldas.

Lançada pelo Governo de Minas em maio de 2008, a Campanha Proteja Nossas Crianças é uma das maiores mobilizações já realizadas no país com foco no combate à violência doméstica e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Conta com a parceria das emissoras de TV, rádio e jornais impressos do Estado, além de realizar ações educativas em todos os pontos e regiões de Minas.

O carioca Josimar Targino, de 53 anos, também é pai e sabe bem a necessidade de se criar mecanismos para combater a violência.. “É uma ação muito significativa. A maioria dos caminhoneiros é responsável e pai de família. Como em toda profissão, sempre têm os desviados”, ressaltou.

Denúncias

Das 1.553 denúncias recebidas pelo Disque Direitos Humanos (0800 031 11 19), de janeiro a maio deste ano, 963 foram para relatar crimes contra crianças e adolescentes. A violência física dentro da própria família (379) e a negligência e abandono (320) permanecem como os tipos mais denunciados. Em seguida, aparecem os crimes sexuais, cometidos fora e dentro do eixo familiar. Juntos, somam 78 denúncias no período em questão.

As ações permanentes da Campanha Proteja Nossas Crianças são reforçadas três vezes por ano, nos dias 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração, 30 de Junho, Dia do Caminhoneiro, e na Semana da Criança, em outubro

A campanha é coordenada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca). A mobilização visa sensibilizar e incentivar a população a denunciar as violações dos direitos das crianças por meio do Disque Direitos Humanos.

Pontos vulneráveis

Números da Polícia Rodoviária Federal, divulgados em maio deste ano, mostram que Minas Gerais possui um ponto vulnerável à exploração sexual a cada 42,35 quilômetros de rodovia, 17ª posição no ranking. No entanto, a preocupação é grande já que Minas possui a maior malha rodoviária do país (10,6 mil km).

“Qualquer divulgação do Disque traz retorno no número de denúncias. E o papel do caminhoneiro é importante, porque ele percorre o Estado todo e tem condições de identificar e denunciar pontos de exploração”, ressaltou o coordenador do Disque Direitos Humanos, Jorge Noronha.

Parceiros

Além dos órgãos de imprensa de Minas Gerais, a campanha conta com apoio de várias instituições privadas e públicas, como Polícia Rodoviária Federal, Ceasa Minas, Correios, Associação das Mães Chefe de Família do Estado de Minas Gerais (Assmig), entre outros.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/caminhoneiros-aderem-a-campanha-proteja-nossas-criancas/

Governo de Minas: Banco Travessia será inaugurado em várias cidades do Rio Doce

Campanário e Marilac abrem suas agências nesta terça-feira. Outras três cidades receberão o programa ainda nesta semana.

Os moradores dos municípios de Campanário e Marilac, na região do Rio Doce, passam a ser beneficiados, a partir desta terça-feira (12), pelas ações do Banco Travessia, programa de iniciativa do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). O objetivo do projeto é incentivar o retorno das pessoas aos estudos e, consequentemente, aumentar as chances de inserção no mercado de trabalho.

Além de Campanário e Marilac, serão inauguradas nesta semana, ainda na região do Rio Doce, unidades nos municípios de São José do Divino (13), Nacip Raydan (13) e São José da Safira (14). Para este mês de junho, também estão previstas inaugurações em Fernandes Tourinho, São Geraldo da Piedade, Frei Lagonegro e Pescador. Até o final do mês, o Governo de Minas deve alcançar o número de 30 novas agências nas várias regiões do Estado. A expectativa é que famílias de quase 22 mil domicílios sejam beneficiadas.

Lançado pelo Governo de Minas em setembro de 2011, o projeto utiliza o diagnóstico do Porta a Porta, também coordenado pela Sedese, que identifica as principais privações das populações carentes. Cada morador das cidades atendidas pelo Banco Travessia, uma vez inserido no programa e tendo retornado aos estudos, vai abrir uma poupança para a família na agência. Se passar de ano, garante mais dinheiro no banco.

Cada ação da família que garanta qualificação profissional ou eleve o nível de escolaridade também será transformada em mais dinheiro na poupança. A permanência no programa pode ser de dois ou três anos, e uma família pode receber, no máximo, R$ 5 mil.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/banco-travessia-sera-inaugurado-em-varias-cidades-do-rio-doce/

Gestão Eficiente: Travessia Saúde é apresentado para cidades mineiras beneficiadas pelo programa

Oitenta e quatro municípios mineiros foram contemplados com o Travessia Saúde em 2012

O subsecretário de Vigilância e Promoção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), Carlos Alberto Pereira Gomes, apresentou, em evento realizado em Belo Horizonte, o Travessia Saúde (subprojeto do Programa Travessia) para os 84 municípios contemplados com o projeto em 2012. O projeto visa reestruturar as Unidades Básicas de Saúde dos municípios para incentivar a promoção à saúde, diminuindo o índice de gravidez na adolescência, mortalidade e desnutrição infantil, tabagismo, entre outros. Visa assim, como todos os outros subprojetos do programa, melhorar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) desses municípios.

O foco do Travessia Saúde é trabalhar junto aos municípios e gestores de saúde um plano de ação de vigilância e prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Para isso, o diagnóstico da análise de situação de saúde dos municípios do Programa Travessia foi apresentado pela equipe de promoção à saúde da SES/MG.

“Parcerias entre todos os setores de Minas Gerais são de total importância para um salto no desenvolvimento de vida dos mineiros e mineiras”, afirma o subsecretário Carlos Alberto.

Os principais focos trabalhados foram: a adequação da estrutura de todas as vigilâncias, o aprimoramento dos conselhos regionais de saúde e o fortalecimento da atenção primária à saúde e redes de atenção à saúde.

“Devemos integrar os municípios, promovendo a saúde dos mineiros através da inter-relação de secretarias, melhorando assim o padrão de vida da população,” ressalta a coordenadora de Vigilância e Promoção à Saúde, Daniela Campos.

Para selar a união entre a SES e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), coordenadora do Programa Travessia, estavam os Meninos do Morro de Itaguara, com uma bateria formada por cerca de 20 crianças, todas beneficiadas com programas de políticas públicas ligados ao Travessia.

O programa

O Programa Travessia, coordenado pela Sedese, é executado de forma integrada por vários órgãos e entidades da administração pública estadual, assim como a SES/MG. Surgiu para integrar forças do Estado visando à coordenação e articulação em ações diversas, com o objetivo claro de melhorar as condições de vida da população. Ao contrário de ações setorizadas, as políticas públicas são implementadas de maneira coordenada e integrada às necessidades específicas de cada município selecionado.

A partir de 2012, o Programa Travessia se desmembrou em seis projetos estratégicos para promover a inclusão social e econômica da população, por meio da articulação de políticas públicas nos eixos educação, saúde e desenvolvimento social, em territórios definidos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/travessia-saude-e-apresentado-para-cidades-mineiras-beneficiadas-pelo-programa/

Governo de Minas: Comitê e Fórum Regional avançam nas estratégias para o Rio Doce

Encontros integram o Estado em Rede, programa criado para trabalhar a regionalização da gestão governamental

Paulo Boanova
Fórum e Comitê Regional do Rio Doce discutiram estratégias de desenvolvimento para a região
Fórum e Comitê Regional do Rio Doce discutiram estratégias de desenvolvimento para a região

Duas reuniões realizadas em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, discutiram as estratégias de desenvolvimento para a região: a 5ª reunião do Comitê Regional do Rio Doce e o 3º Fórum Regional do Rio Doce, na quarta-feira (30) e quinta-feira (31). Os encontros integram o Estado em Rede, um programa criado para trabalhar a regionalização da gestão governamental, uma das prioridades do governo Antonio Anastasia.

O Comitê conta com a participação dos agentes de diversas secretarias e órgãos estaduais que possuem unidades na região. O Fórum reúne, além dos integrantes do comitê, os representantes da sociedade civil da região, eleitos no encontro em agosto passado.

No primeiro dia do evento, a equipe da técnica da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) apresentou uma síntese dos assuntos discutidos na reunião anterior e os encaminhamentos da última reunião da Câmara Multissetorial, em 4 de abril passado, com destaque para o incremento  da qualificação profissional,  tema debatido na reunião anterior do Comitê do Rio Doce.

Em seguida, alguns membros do comitê fizeram apresentações sobre temas relacionados às discussões regionais: desenvolvimento sustentado dos municípios; campanha de proteção à criança e adolescente; mão-de-obra para a cadeia produtiva da região e cursos profissionalizantes em parceria com universidades locais.

Na abertura do Fórum Regional, na quinta-feira (31), a Ouvidora Geral do Estado, Celia Barroso, ressaltou a interlocução frequente desenvolvida com a sociedade civil, para que as políticas públicas sejam implementadas. “Queremos refinar esse processo democrático, para que as pessoas sintam que os seus anseios estão sendo cumpridos pelo governo. Historicamente, isso representa um grande avanço. Essa nova forma de governança tem uma impressão digital, que é a cidadania”, disse ela.

As reuniões contaram com a presença de representantes da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag); Secretaria de Estado de Casa Civil e Relações Institucionais (Seccri); Secretaria de Estado de Governo (Segov), Governadoria e Ouvidoria-Geral do Estado (OGE).

Região-síntese

No Fórum, o subsecretário de Planejamento, Orçamento e Qualidade do Gasto, André Reis, destacou a importância do estabelecimento deste canal de comunicação com a sociedade civil organizada. “Temos bastante expectativa no fortalecimento dessa rede, para que possamos construir um futuro melhor para o Rio Doce. A região é uma síntese de Minas, por suas dificuldades e potencialidades. Nossa meta é trazer para o planejamento governamental propostas construídas em conjunto com a sociedade, que é de grande importância para o amadurecimento institucional do governo”.

A mediadora do programa na região apresentou a metodologia do projeto, destacando seus principais objetivos: vencer os desafios de um estado tão grande e diversificado, percebendo as características de cada região para implementar as estratégias, ampliando a participação cidadã em todo o território mineiro.

Em seguida, vários representantes eleitos pela sociedade civil organizada falaram ao público, lembrando anseios históricos dos moradores de regiões diversas do Rio Doce: O trabalhador rural, o homem urbano, as mulheres, os jovens e adolescentes, os idosos.

Integrantes de empresas convidadas, como a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Ministério Público, Universidade Vale do Rio Doce (Univale) e Celulose Nipo-Brasileira S/A (Cenibra), elogiaram a iniciativa do Governo de Minas, destacando ações corporativas que vêm contribuindo para o desenvolvimento da região. A participação desses representantes incrementou as discussões neste encontro.

Um bom exemplo da afinidade do trabalho governamental no Rio Doce com as prioridades eleitas pela sociedade civil da região é a construção do Hospital Regional – em consonância com a estratégia “fortalecimento dos hospitais regionais” – anunciada pelo governador Antonio Anastasia em 24 de fevereiro passado. O projeto contará com investimentos de cerca de R$ 80 milhões e terá capacidade para atender a uma população estimada em 1,5 milhão de habitantes, instalada em 85 municípios da região. O terreno do hospital já foi definido e a terraplanagem iniciada para permitir o início das obras este ano.

Política diferenciada

O superintendente regional de Saúde do Vale do Aço, Anchieta Poggeali, reforça o cumprimento dos compromissos assumidos no encontro regional por parte do Governo de Minas. “As prioridades estabelecidas pela sociedade estão em execução e as ações na saúde são uma demonstração clara disso. Além da construção do hospital, outra prioridade eleita, que foi o aumento das equipes de PSF (Programa de Saúde da Família), já acontece em toda a região”, afirmou.

O desenvolvimento das ações governamentais no nível intersetorial é destacado pelo diretor regional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social em Timóteo, Mauro Nunes. “Essas reuniões têm feito com que várias ações do governo sejam ampliadas, a partir do envolvimento de mais órgãos e secretarias. Eu cito como exemplo a campanha pela Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, cujos resultados em 2012 foram melhores que nos anos anteriores. Começamos a construir uma política diferenciada, mais eficaz e com os pés no chão. Isso pra mim é um grande avanço”, definiu.

As reuniões dos comitês e dos fóruns acontecem com periodicidade trimestral em outras cinco regiões do Estado, além do Rio Doce: Norte de Minas, Jequitinhonha/ Mucuri; Mata; Sul de Minas e Triângulo. No dia 22 de junho tomam posse na Cidade Administrativa os representantes de mais quatro comitês: Centro-Oeste, Noroeste, Alto Paranaíba e Central, completando a regionalização da estratégia governamental nas dez regiões de planejamento do Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/comite-e-forum-regional-avancam-nas-estrategias-para-o-rio-doce/

Governo de Minas: Travessia Social vai construir módulos sanitários para moradores de 12 cidades

Serão 868 construções com estrutura completa e 923 domicílios beneficiados

Asscom/Sedese
Representantes dos municípios foram capacitados para execução das ações
Representantes dos municípios foram capacitados para execução das ações

Moradores de 12 municípios atendidos pelo Travessia Social vão ganhar módulos sanitários em seus domicílios. Serão 868 construções que consistem em uma estrutura completa (revestimento de cerâmica, pia, chuveiro e tanques). Desse total, nove serão adaptados a pessoas com deficiência. Além disso, outros 55 passarão por reforma, totalizando 923 domicílios beneficiados. Os representantes das cidades envolvidas foram capacitados nesta quinta-feira (31), na Cidade Administrativa, para execução das ações. A previsão é que as atividades tenham início até o final de junho.

A assistente social e interlocutora do Travessia no município de Mato Verde, no Norte de Minas, Bárbara Souza, ressaltou que a capacitação é fundamental para acertar na prestação do serviço para a população.  “A capacitação foi essencial para facilitar o desenvolvimento do projeto. Vamos levar qualidade de vida à população, porque muitos ainda usam a fossa ou não têm nem isso”, destacou.

O Travessia Social faz parte do novo escopo do Programa Travessia, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), e é desenvolvido  com o objetivo de minimizar as privações sociais identificadas nos domicílios, por meio do diagnóstico do Porta a Porta, promovendo a Travessia da população para uma situação de inclusão social. Assim, o Travessia Social atua principalmente com intervenções nos domicílios, como construção de módulos sanitários, melhorias habitacionais, construção de poços artesianos e aquisição de bens domésticos.

Cidades atendidas

Manga, Janaúba, Mato Verde, Catuti, Gameleiras, Porteirinha, Espinosa, Jaíba, Mamonas, Matias Cardoso, Monte Azul e Verdelândia.

Porta a Porta

Lançado em 2011 pelo Governo de Minas e também coordenado pela Sedese, o Porta a Porta promove, de casa em casa, a busca ativa para identificar as reais necessidades das famílias em situação de vulnerabilidade social e, assim, subsidiar as ações do Programa Travessia. No ano passado, mais de 128 mil domicílios foram visitados pelo Porta a Porta, em 59 cidades. Neste ano, outras 71 cidades foram beneficiadas com a iniciativa.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/travessia-social-vai-construir-modulos-sanitarios-para-moradores-de-12-cidades/

Gestão Anastasia: Governo de Minas comemora o Dia Mundial sem Tabaco

Programação especial na Cidade Administrativa alertou cidadãos sobre os males do cigarro para a saúde

“Fumar: faz mal pra você, faz mal para o planeta”, é o tema deste ano do Dia Mundial sem Tabaco, neste 31 de maio. Para marcar a data, a Secretaria de Estado de Saúde (SES), em parceria com a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Secretaria de Esportes e da Juventude (SEEJ), Subsecretaria de Políticas Antidrogas, Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais e Polícia Militar de Minas Gerais promoveram, nesta quinta-feira, atividades culturais na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves.

A programação incluiu a participação de grafiteiros e grupo de dança de rua da Central Única de Favelas (Cufa) e demonstração de manobras de skatistas. De acordo com a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Maria Paes de Vilhena, o objetivo da ação foi mobilizar e alertar sobre os problemas causados pelo uso do tabaco. “Que o nosso único vício seja o cuidado com o corpo e a saúde”, afirmou a secretária. O secretário-adjunto de Esportes e da Juventude, Rogério Romero, também esteve presente e reforçou a importância da prática de esportes e o abandono do uso do tabaco para uma vida mais saudável.

Segundo Jesus Alves, servidor da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) parar de fumar não é uma decisão fácil, requer força de vontade e empenho. Ele foi fumante durante 42 anos e há quatro meses sente os benefícios de ter abandonado o uso do cigarro. “Antes eu tinha dificuldades para caminhar, hoje diariamente caminho 12 km, passei a beber mais água e estou feliz por não ter mais cheiro de cigarro”, afirmou o servidor.

Minas contra o Tabaco

De acordo com Estela de Cássia Pereira, Coordenadora do Núcleo de Prevenção Primária do Câncer-Tabagismo da SES, estudantes e profissionais de saúde são informados sobre os riscos à saúde ocasionados pelo uso do tabaco por meio do programa “Saber Saúde”.

Também existe uma parceria entre a secretaria, o Ministério da Saúde e o Instituto Nacional do Câncer (Inca) para capacitar profissionais de saúde dos municípios do programa Abordagem Intensiva ao Fumante. A iniciativa propõe tratamento medicamentoso e terapia cognitiva comportamental às pessoas que desejam parar de fumar e estimula a implantação de ambiente livre de tabaco nas Unidades Básicas de Saúde. Atualmente, 374 municípios mineiros oferecem este tratamento gratuito para as pessoas interessadas em parar de fumar.

Riscos do tabagismo

Dados do Ministério da Saúde indicam que a fumaça do cigarro reúne cerce de 4.700 substâncias tóxicas, algumas cancerígenas. No Brasil, 23 pessoas morrem a cada hora em decorrência de doenças ligadas ao tabagismo. Até 2030, a estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que oito milhões de pessoas podem morrer em consequência do fumo. A entidade classificou o tabaco como um dos fatores que mais contribuem para a epidemia de doenças não contagiosas, como ataques cardíacos, derrames, câncer e enfisema.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-comemora-o-dia-mundial-sem-tabaco-2/

Governo de Minas: perfil dos moradores de rua vai ajudar na elaboração de políticas públicas

Gestores e entidades de todo o Estado participam de seminário com o objetivo de discutir ações para melhorar a vida dessa parcela da população

Representantes do Governo de Minas, de municípios mineiros, do Movimento Nacional de População de Rua e de demais entidades de direitos humanos participam do II Seminário de Políticas Públicas para População em Situação de Rua. O Objetivo é traçar ações de intervenção para garantir a defesa dos direitos e a promoção social dessa parte da população. O encontro vai até esta quarta-feira no Sesc Venda Nova, ,em Belo Horizonte.

Os debates são norteados por um estudo divulgado no final do ano passado que constatou algumas características dos moradores de ruaem Minas Gerais. Segundo a pesquisa, por exemplo, a maior parte deles possui algum grau de alfabetização e tem família, além de menos da metade dizer estar nas ruas a mais de 10 anos.

“Esse encontro é fruto de pensamentos e atitudes que temos como gestores do desenvolvimento social em Minas. A realização da pesquisa foi fundamental, pois o que buscamos sempre é a excelência na prestação de serviços. Os moradores de rua têm sonhos e temos a responsabilidade de ajudá-los na realização desses sonhos”, destacou o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Cássio Soares, durante a abertura do seminário.

A pesquisa, promovida pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), em parceria com a Pastoral do Povo de Rua (CNBB), apontou um número significativo de moradores de rua em 84 dos 222 municípios investigados. “O resultado da pesquisa serviu para dizer qual será a melhor e a mais importante resposta a esse público. Ninguém está na rua por vontade própria. Temos que romper a invisibilidade, o preconceito e a discriminação contra os moradores de rua”, disse a coordenadora da Pastoral Nacional do Povo de Rua, Maria Cristina Bove Roletti.

“Quando falamos em políticas públicas, falamos de algo que, de fato, vai enfrentar os problemas vividos pela população. A proposta desse seminário é levantar subsídios para tratar ações que sejam desenvolvidas de forma efetiva. Serão dias de muita discussão e troca de experiências”, ressaltou o representante do Movimento Nacional da População em Situação de Rua, Samuel Rodrigues.

A abertura do evento contou com as participações da Promotora do Ministério Público, Nivia Mônica da Silva, da conselheira da sociedade civil, Cristiane Nazareth da Silva, do deputado André Quintão, entre outras autoridades.

Alguns dados apontados pela pesquisa sobre moradores de rua em Minas Gerais

- 86,4% dos moradores de rua identificados no estudo são do sexo masculino;

- 58% têm entre 26 e 45 anos;

- 62,5% são solteiros;

- 94,2% dos entrevistados disseram ter família e/ou parentes;

- 92,9% possui algum grau de alfabetização;

- 81,3% tem algum tipo de dependência química, sendo 67,5% relacionada ao tabaco, 68,7% com álcool e 23,1% com drogas.

- 34% disseram estar nas ruas há mais de 10 anos;

- 87,9% garantiram não receber nenhum benefício social (bolsa família, INSS).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/perfil-dos-moradores-de-rua-vai-ajudar-na-elaboracao-de-politicas-publicas/

Gestão Anastasia: Governo e municípios discutem situação dos moradores de rua em Minas

Gestores se reúnem para debater ações de intervenção destinadas a essa camada da população

Representantes dos 85 municípios mineiros que têm um número significativo de moradores de rua vão se reunir com membros do Governo de Minas para discutir ações de intervenção destinadas a essa camada da população. O encontro é promovido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), em parceria com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, e será realizado a partir desta terça-feira (29), às 11h, no Sesc Venda Nova, rua Maria Borboleta, S/N, Bairro Letícia, em Belo Horizonte. As atividades terminam na quarta-feira (30).

A concentração de moradores de rua nas cidades foi apontada durante pesquisa divulgada pela Sedese, no ano passado, em 222 municípios mineiros. O II Seminário de Políticas Públicas para População em Situação de Rua vai abordar a realidade socioeconômica, política e cultural desse público. Cerca de 300 pessoas, entre gestores da política pública de assistência social, entidades que ofertam serviços à população de rua e representantes do Movimento Nacional de População de Rua são aguardadas para o evento.

A abertura do seminário vai contar com as participações do secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Cássio Soares, do representante da Regional Leste da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Evandro Alves Bastos, da coordenadora da Pastoral Nacional do Povo de Rua, Maria Cristina Bove Roletti, entre outras autoridades.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-e-municipios-discutem-situacao-dos-moradores-de-rua-em-minas/

Governo de Minas: Secretaria de Saúde mobiliza Sabará no “Meu bairro sem dengue”

A SES-MG ofereceu as ações do Dengue Móvel e do Dengômetro

Alexandre Ribeiro/SES-MG
O evento ocorreu na Escola Municipal Gabriela Leite Araujo, localizada no bairro Nossa Senhora de Fátima
O evento ocorreu na Escola Municipal Gabriela Leite Araujo, localizada no bairro Nossa Senhora de Fátima

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) mobilizou no sábado (26) a população de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no “Meu Bairro Sem Dengue”, uma ação de iniciativa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), para promoção de serviços e atividades em regiões de vilas e favelas e que tem como mote o combate à dengue. O evento ocorreu na Escola Municipal Gabriela Leite Araujo, localizada no bairro Nossa Senhora de Fátima.

A SES-MG ofereceu as ações do Dengue Móvel – caminhão que troca uma lata por uma borracha, uma garrafa pet por um lápis e um pneu por um caderno – e do Dengômetro, um espaço de convivência e de acesso às informações sobre a dengue, onde o cidadão toma conhecimento da situação da doença em sua região e aprendeu os métodos de prevenção e mobilização.

O garoto Wesley Silva, 10, recolheu mais de 20 pets, potenciais criadouros da larva do mosquito Aedes aegypti, apenas no quarteirão de sua casa e as trocou por lápis no Dengue Móvel. “Meus pais, geralmente, jogam fora as pets e ficam apenas com as latinhas, mas na escola ficamos sabendo da troca por material escolar  e então eles me ajudaram a recolher”, disse.

Dados epidemiológicos deste ano apontam redução de 46% dos casos notificados de dengue, em relação aos primeiros cinco meses do ano de 2011 em Sabará. Em maio do ano passado, o município registrava 146 casos da doença, enquanto, neste ano, registrou-se 63 casos. Entretanto, o último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado em janeiro deste ano, acusa a gravidade da situação: registrou-se um índice de 4,7 %, considerado de alto risco pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a referência técnica em dengue da SES-MG, Geane Aparecida de Almeida, a redução de quase 80% dos casos notificados da doença no ano passado se deve muito à capacidade de mobilização no Estado e essa preocupação não deve diminuir para o ano de 2012. “Devido à intensidade das chuvas por virem, os cuidados preventivos do cidadão para o combate à dengue devem ser permanentes e reforçados”, alertou.

Em Sabará, a preocupação é a mesma. O coordenador de zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde de Sabará, Wellington Duarte, afirma que os trabalhos de prevenção à dengue não devem ocorrer apenas em períodos críticos. “Estamos tendo agora em maio chuvas que seriam incomuns de se esperar nessa época, por isso é importante conscientizar a população para a prevenção constante”, disse.

Ainda segundo Wellington, o município de Sabará já estuda propostas legislativas para penalização de moradores omissos na prevenção à dengue ou que impeçam o trabalho dos agentes de epidemiologia. Dentre as medidas, caberia a autorização de entrada forçada dos agentes e responsabilização dos moradores por meio de multas.

Segundo o responsável pela Assessoria de Assuntos para Vilas e Favelas, da Sedese, Weslei Morais, o combate à dengue deve ser constante para ser efetivo e o “Meu Bairro Sem Dengue” deve conseguir atrair a atenção da comunidade para a causa. “Pela troca de inservíveis por material escolar a comunidade tem um primeiro estímulo que, em seguida, evoluirá para um cuidado no combate aos focos do mosquito da dengue. Por isso, a conscientização deve ser constante”, destaca.

Outras atividades

SETE: Oferta de vagas de emprego por meio do SINE

Sistema Divina Providência: Palestras sobre como conseguir empregos.

Clube Mackenzie: Seletiva de futebol feminino.

PUC – Atendimento Jurídico

CEMIG: Unidade Móvel para atendimento de débitos da população da Vila.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-mobiliza-sabara-no-meu-bairro-sem-dengue/

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: